sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

RETIRANDO OS PEIXES DOS OCEANOS E DEVOLVENDO EM PLÁSTICOS

8 MILHÕES de TONELADAS de plástico em nossos oceanos.

REMOVING THE FISHES OF THE OCEANS AND RETURNING IN PLASTIC 8 MILLION TONS of plastic in our oceans.


Fonte:http://news.sciencemag.org/earth/2015/02/here-s-how-much-plastic-enters-ocean-each-year

      O plástico é um dos piores vilões dos oceanos no mundo inteiro e vem sendo visto impactando o habitat marinho desde 1970. Jenna Jambeck, professora assistente de Engenharia Ambiental da Universidade da Geórgia e principal autora do estudo, afirma que cerca de 8 milhões de toneladas de plásticos são depositados ou tem seu destino final nos oceanos todos os anos e baseada em tendências populacionais e problemas de eliminação de gestão de resíduos, a estimativa é de que, se esse quadro não se alterar, chegue a 170 milhões de toneladas em 2025.
        Plastic is one of the worst villains in the oceans around the world and has been seen impacting the marine habitat since 1970. Jenna Jambeck, assistant professor of Environmental Engineering of the University of Georgia and lead author of the study, says that about 8 million tons of plastics are deposited or have their final destination in the oceans every year and based on population trends and waste management disposal problems, the estimate is that if this situation doesn't change, reache in 170 million tons in 2025.

         De acordo com o relatório postado na revista Science, os países em desenvolvimento tal como Ásia, descartam grande quantidade de plástico em locais inadequados, porém, mais da metade dos resíduos plásticos que escoa para os oceanos vem de cinco países: China, com 2,4 milhões de toneladas, Indonésia, Filipinas, Vietnã e Sri Lanka. Jambeck afirma que os paises desenvolvidos, como Europa e EUA, mesmo gerando grande quantidade de resíduo plástico, fica mais abaixo no ranking mundial e um dos motivos são os sistemas para recolher os resíduos sólidos, procedimento ausente nos países em desenvolvimento.
           According to the report posted in Science, developing countries such as Asia, discard large amount of plastic in inappropriate places, however, more than half of plastic waste that goes to the oceans comes from five countries: China, with 2, 4 million tons, Indonesia, Philippines, Vietnam and Sri Lanka. Jambeck says that developed countries such as Europe and US, even producing large amount of plastic waste, is lower in the world rankings and one of the reasons are the systems for collecting solid waste, absent procedure in developing countries.  
   
          O estudo de Jambeck estima a quantidade não só do plástico que podemos observar a olho nu, mas também do plástico que se perdeu pelo oceano, que está possivelmente nas profundezas, presos em algum local ou no estômago de algum animal. "Qualquer sistema de coleta, seja ela boa o suficiente para capturar as partículas menores, vão acabar capturando também uma enorme quantidade de vida marinha. A melhor opção, portanto, é implementar a gestão dos resíduos em terra." sugere a professora Jambeck e outros pesquisadores.
           Jambeck studies estimates the amount of plastic that not only can be seen with the naked eye, but also the plastic that was lost by the ocean, which is possibly in the depths, stuck somewhere or in an animal's stomach. "Any collection system, be it good enough to capture the smallest particles, will also end up capturing a huge amount of marine life. The best option therefore is to implement the management of waste on land." suggests professor Jambeck and other researchers.

          De acordo com a co-autora Kara Lavendar Law, a quantidade de plásticos estimados que entra na água é igual a quantidade de atum pescado por ano, "estamos a remover o atum e a devolver em plásticos para o oceano", ela disse. E se não está convencido do quanto o plástico faz mal para todo nosso ecossistema, estudos sugerem que peixes e outros organismos comem as partículas de plásticos e absorvem as substâncias tóxicas do material. Os peixes são comidos por outros peixes, e esses peixes são comidos por VOCÊ.
       According to co-author Kara Lavendar Law, the amount of estimated plastics that enters in ocean is the same to how much tuna is fished per year, "we remove the tuna and returning of plastic to the ocean," she said. And if you're not convinced of how the plastic is bad for all of our ecosystem, studies suggest that fish and other organisms eat the plastic particles and absorb toxic substances from the material. The fish are eaten by other fish, and such fish are eaten by YOU.

Salve nosso planeta, salve a si mesmo.
Jogue o lixo no lixo!
Save our planet, save youserf.
Put the trash in the bin!


Produção: Acadêmica em Biologia Marinha Luiza Gomes

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Grupo de mergulhadores inicia projeto de limpeza subaquática em Niterói-RJ

Group of divers starts a underwater cleanup project in Niterói, Rio de Janeiro.

            O lixo marinho é um problema em todos os oceanos, mesmo praias paradisíacas não escapam desse mal. Preocupado com isso, Adriano Peregrino, mergulhador e dono da escola de mergulho Tempo de Fundo em Niterói-RJ, idealizou no ano passado um projeto chamado Pescando Limpo para promover a limpeza subaquática da Reserva Extrativista da Marinha (Resex) em Niterói. Com cerca de 3.990 hectares, a Resex é constituida por Itacoatiara, Itaipu, Camboinhas, Piratininga e o espelho-d’água da Lagoa de Itaipu.
            Marine litter is a problem in all oceans, even paradisiac beaches don't escape of this evil. Concerned about this, Adriano Peregrino, diver and owner of Tempo de Fundo Dive school in Niterói-RJ, devised last year a project called Pescado Limpo (Clean Fishing) to promote the underwater cleaning in Extractive Reserve Marine (Resex) in Niterói. With about 3,990 hectares, Resex is composed of Itacoatiara, Itaipu, Camboinhas, Piratininga and Itaipu Lagoon.
           
            Com a ajuda de seus alunos mergulhadores, Adriano já iniciou a primeira etapa do projeto, que é limpar toda a área do costão rochoso de Itaipu, e controlar o tempo que o mar leva para ficar sujo novamente. A idéia é catalogar todo o lixo encontrado e mapear com GPS as áreas de remoção desses materiais. A equipe disse que já foram encontrados diversos tipos de objetos, como botas, latinhas, um fogão e principalmente muitos petrechos de pesca, alguns realizando a pesca fantasma!!
            With the help of his student divers, Adriano has started the first step of the project, that consists clean the entire area of rocky shore of Itaipu, and control the time that the sea takes to get dirty again. The idea is catalog all the marine litter found with GPS and map areas of removal of these materials. The team said have been found some types of objects, such as boots, cans, a stove and especially many fishing gears, some doing ghost fishing!!


Mergulhadores removendo animais de redes que realizavam a pesca fantasma/ Fonte: http://oglobo.globo.com/rio/bairros/grupo-de-mergulhadores-aproveita-mar-claro-faz-limpeza-em-reserva-marinha-de-niteroi-15155292/ Divers removing animals of fishing nets that were doing ghost fishing


            Os mergulhadores ficaram preocupados com as redes de pesca, Adriano disse para uma reportagem do portal O Globo que esses materiais descartados nas águas de forma imprudente causam um grande risco,as linhas podem cortar mergulhadores e até matar peixes e tartarugas. Relatou também que encontrou redes de pesca com peixes, ouriços e uma moreia presos, que não escaparam da pesca fantasma.
            The divers stay worried about net fishings, Adriano said to a reporter of portal O Globo that this materials discarted recklessly in water cause a big risk, the lines can cut divers and kill fishes and turtles. Reported to that found net fishings with fishes, sea urchins and a moorea stuck, that don't scape of ghost fishing.

Parabéns ao Projeto Pescando Limpo, continuem protegendo nossos oceanos!
Congratulations to Fishing Clean Project, keeping protect our oceans!



Produção: Acadêmica em Biologia Marinha Luiza Gomes